QUALIDADES

O menino Jesus é encontrado no Templo - Pintura de James Tissot

 

A  ÚNICA  RELIGIÃO  DIGNA  É  A  RELIGIÃO  DO  BEM

Monumento no Monastério Montserrat - Espanha - foto iap      

O MESTRE

 

A SOCIEDADE ANTIGA E O CRISTIANISMO

COMUNHÃO COM DEUS

CRISTOS

CRÔNICA DE NATAL

CURSO NA ESPIRITUALIDADE

EM NOME DE JESUS

EMMANUEL E JESUS

FESTA DE NATAL

JESUS E A HUMANIDADE

JESUS E OS DISCÍPULOS NA GALILÉIA

JESUS, O MESTRE, O MAIOR DE TODOS

JESUS: CORPO CARNAL

NASCEU O REDENTOR!

NATUREZA DO CRISTO

O CRISTIANISMO

O DIA DE NATAL

O MAIOR DOS MILAGRES

PALESTRA NUMA CASA ESPÍRITA

PAULO E JESUS

RETRATO DE JESUS

DOZE  HOMENS

FRANCISCO ASSIS

 

 

     Jesus é para o homem o tipo de perfeição moral a que pode aspirar a Humanidade na Terra. Deus no-lo oferece como o mais perfeito modelo e a doutrina que ele ensinou é a mais pura expressão de sua lei, porque ele estava animado do Espírito divino e foi o ser mais puro que já apareceu na Terra.

     Se alguns dos que pretenderam instruir os homens na lei de Deus algumas vezes os desviavam para falsos princípios, foi por se deixarem dominar por sentimentos demasiado terrenos e por terem confundido as leis que regem as condições da vida da alma com as que regem a vida do corpo. Muitos deles apresentaram como leis divinas o que era apenas leis humanas, instituídas para servir às paixões e dominar os homens. (Allan Kardec)

JESUS E O SOL

     Entre Jesus e o Sol existe uma singular diferença: - o Sol ilumina o corpo do homem, e Jesus ilumina-lhe a alma.

     Quando o corpo morre, a ação do Sol serve para o decompor mais rapidamente; ao passo que, quando a alma se liberta, a ação de Jesus é quando a purifica e ilumina mais.

     A ação do Sol é constante no espaço, mas entrecortada para o homem; a ação de Jesus é permanente e eterna no espaço e no homem.

     A duração do Sol é finita; a duração de Jesus e da sua obra é infinita, porque vai além de todos os tempos.

     Entretanto há sábios que não negam o Sol e o amam; e negam e renegam Jesus e a verdade da sua doutrina.

     Pobres e mesquinhos sábios!

     Daqui, dão-nos a sensação de pequeninos vermes comprazendo-se na Terra, e fugindo à luz que os ilumina e aquece.

     A todos esses deploro, e a cada um apeteço o raiar de uma linda aurora nas trevas da sua ignorância. 

      Espírito João de Deus - 25/12/1906 - Obra: do País da Luz - volume 1                                        www.febeditora.com.br/

                                           PRINCIPAL

 

 

                                                                                                                                                  

 

NINGUÉM ESPERA QUE APAGUES, SOZINHO, O INCÊNDIO DA MALDADE. DÁ O TEU COPO DE ÁGUA FRIA (EMMANUEL)