Praga - Foto iap

JESUS E OS DISCÍPULOS NA GALILEIA 

     Simão Pedro, ativado pelo acontecimento de Betânia, na casa de Lázaro e suas irmãs, passou a narrar aos companheiros o ocorrido, falando sobre o que o Mestre dissera, do ambiente que se formara com  a Sua palavra e do perfume que exalava nos momentos em que Ele dissertava sobre a Boa Nova do Reino.         

     O coração de Simão Pedro, com os sentidos aguçados, deu sinal de que alguém invisível estava por ali, à espera do momento exato para aparecer; em silêncio orava com todos os sentimentos que poderia expor numa prece, dizendo:

     "Senhor!... Sei, pelo aviso do coração, que estás conosco. Não compreendo o processo que usas de ficar invisível e visível aos nossos olhos. Estamos ansiosos pela Tua palavra, Mestre. Tem compaixão de nós, Tuas ovelhas mais chegadas à Alma. Podes notar o nosso desespero pela Tua direção. Devemos  tomar novas diretrizes nesses instantes de dúvida, que são semeadas por todos os Teus acompanhantes, principalmente por aqueles que ainda não se certificaram da Tua ressurreição. Estes sofrem, Senhor, e esperam os nossos anúncios sobre essa verdade.

     Pelo amor que tens a todos nós, aparece, surge para o Teu colégio, para todos que aqui se reúnem, que vieram para isso, pelo Teu mando e pela Tua vontade!  Agora vejo como é difícil a Fé, aquela que nos ensinaste, que transporta montanhas, sendo que as mais difíceis são as dúvidas, a inquietação e o medo. Ainda não aprendemos, nem conquistamos a serenidade, aquela que tens com abundância no coração, vinda do coração de Deus".

     Alguns dos discípulos ressonavam. O cansaço chegava ao extremo das forças, mas a vitalidade de Pedro ultrapassava o exagero, ainda mais no que se referia à vontade do seu Mestre. Os ventos sopravam brandamente, e com ele vinha um silêncio, portador de uma paz indescritível. Pedro já sentia o de costume, quando na presença de Jesus: um perfume sem comparações. Pôs-se novamente de joelhos e, mesmo sem vê-Lo, foi dizendo:

     - Senhor! Aqui estamos à Tua espera. Orienta-nos a todos sobre o que devemos fazer, e o que deve ser feito. Dá-nos a Tua paz...

     Radiosa luz começou a clarear o ambiente; o suave aroma aumentava de intensidade e a tenda parecia crescer em suas dimensões, formando-se um céu de estrelas. E Simão chorava...

     E o Cristo, no meio daquela onda de luz mais linda do que a policromia dos sóis, com mais festejos  que as correntes encantadoras de energia dos astros, com mais cadência que as danças rítmicas dos mundos, falou com segurança e meiguice aos seus discípulos, na singela tenda improvisada dos primeiros homens que deveriam sustentar a Boa Nova do Reino de Deus, pela palavra e pelo exemplo, neste modo de falar dos anjos:

     - A paz seja convosco... Pedimos aos Céus que os abençoem sempre. É de nosso agrado vê-los novamente juntos, e corações e ideais.

     Todos tomaram posição de respeito, ansiosos para ouvir a palavra do Divino Amigo, e Este anunciou as diretrizes para os Seus companheiros, na urgência que requeria o momento:

     - Meus filhos! Nunca os deixaria sem rumo nos momentos de aflição. Eis que aqui estou para vos guiar nos caminhos tortuosos da semeadura do Bem e da Verdade. Não posso estar convosco permanentemente, pois tirar-vos-ia o mérito do trabalho pessoal. Deveis saber que dentro de cada coração se reúnem talentos espirituais, à espera do despertar, e que apenas o mestre pode dar o toque em seus discípulos, mas não pode fazer o que deverá ser feito por eles.

     Venho em busca de todas as minhas ovelhas, para que elas não se percam; venho para orientar todos os meus discípulos, para que não se esfriem nos caminhos do plantio; venho em busca dos homens que se fizeram ministros, para que o Amor verdadeiro seja mostrado, em todas as circunstâncias, à humanidade.

     Lamento a falta de um dos que me acompanharam, e devo dizer que, quando há necessidade de a lição ser repetida, é porque algo falta no coração para ser firmado. Deus sabe o que faz para o filho em preparo, e eu jamais me esquecerei dele, no que posso ofertar. Falo a todos como o que dirige. Sei e sou consciente dos roteiros que devem percorrer, e na verdade vos digo, que a princípio muitos entrarão em desespero, por se sentirem sozinhos nos campos dos testemunhos. Porém, vos afirmo, que a perseverança é força indestrutível, quando se refere ao bem da comunidade.

     Tudo o que vos falei é vigência da Lei; é claridade da Justiça; são divisões do Amor de Deus, que se multiplica para vos ajudar. Não queirais contrariar a palavra do Senhor, para não entrardes em contradição com a própria natureza. Não viemos, mesmo na posição que ocupamos, fazer esquecidas as leis, mas viemos, sim, para cumpri-las, em todas as suas nuanças de luz.

     Sereis divididos e ativados, para levar a Boa Nova a toda parte e a todas as criaturas. Precisamos de homens decididos e prontos para assumirem as posições a que os testemunhos convidarem. Quando fordes relegados ao abandono, isso será uma prova para que possais fortalecer-vos mais; não descreais da bondade de Deus, nem intentais pensar que vos abandonei.

     Alimentai a Fé e sofrei sem reclamar; alimentai o Amor, e amai sem exigir; alimentai o Perdão e perdoai sem comercializar os sentimentos.

     Não queirais violentar os sentimentos de ninguém. A liberdade de pensar é dom de cada criatura. Semeai, pelo exemplo de vida nobre, com a nobreza nos passos, a vida reta, com a retidão na cabeça; semeai a vida operosa, com as mãos ativas no trabalho honrado.

     Todos os profetas de Deus falaram a meu respeito, porque eu os enviei para tal missão. O tempo não importa. No tempo em que viveis, a missão do homem de bem é falar do Amor e da Justiça, e viver esse comportamento dia a dia. Eu não somente enviei meus ministros, ficando de fora das lutas; também desci à Terra, com o peso maior em meus ombros, para mostrar-vos o valor de uma vida que  se entregou para a felicidade de todos.

     Vou continuar a aparecer junto aos meus seguidores, mostrando os caminhos que deverão seguir, mas não vos tirarei dos sacrifícios, porque somente eles avivam as lições de Amor. Creio que estais preparados como foram preparados em muitas vidas, nascendo e renascendo sem conta, em muitas escolas do universo. Sei que todos sentis a vida continuar, e, como prova disso, estou aqui, depois do drama do Calvário. Peço que abençoeis a humanidade, pelo bem que podeis fazer a ela, mas, em primeiro lugar, não deveis esquecer os que sofrem e que devem ser consolados; os encarcerados, que devem ser visitados e abençoados nas suas regenerações; os famintos e os que tenham sede e fome de justiça, pois eles devem ser confortados.

     Espero que todos volteis a Jerusalém e visiteis toda a família que espera a ressurreição, renovando-a na Fé, mostrando a ela as diretrizes do trabalho, do entendimento e da compreensão das leis, que vos mostrei no curto espaço de tempo em que lá estive andando com aquelas pessoas, caminho a caminho.

     Poucas assimilaram as verdades, como as que compreenderam o que falei e fiz. Mas eu vos tenho como agentes do meu mando, e como discípulos do meu coração. Falarei pelas vossas bocas, onde achar conveniente, e pensarei com as vossas cabeças, quando necessário, e curarei os enfermos nos momentos em que Deus achar melhor, com as vossas mãos. Quando levardes a Boa Nova a um lugar, eu irei na frente; quando derdes algum exemplo de Amor, estarei presente; quando enxugardes lágrimas, eu vos ajudarei; quando renunciardes aos bens materiais, para que a glória do Bem seja maior, eu me alegrarei com os vossos corações, por ver e sentir que o verdadeiro Amor se estende por toda a Terra. Esta é a vontade de Deus, esta é a minha vontade.

     Tudo estava sereno. Os ouvidos dos discípulos tudo registravam com a maior atenção. Aquela tenda desapareceu, e eles sentiam-se transportados para os Céus, onde Deus surgia e falava aos seus corações, sobre o que lhes competia fazer ante a Terra, cheia de sombras.

     Os discípulos assentaram-se na relva fresca, a um aceno do Mestre, e Este, em pé, irradiando claridade  encantadora, embriagava a todos com fragrância deliciosa, conhecida de todos os presentes.

     Ninguém discutia o que ouvia. Não trocaram ideias naqueles instantes, para não perderem o tempo com o Senhor. Estavam atentos para ouvir mais. E Jesus, como que abençoando a todos, disse com delicadeza:

     - Sei que estais aqui à minha procura. Não duvido da sinceridade dos vossos corações a serviço de Deus, e compreendo que é chegada a hora de, todos juntos, lutando pelos mesmos ideais, trabalharem, separados, a boa semente, a semente da vida.

     Tudo o que vos ensinei é a Verdade; tudo o que fiz é o certo; tudo que vos indico para fazer, constitui a missão de cada um. Certamente que as dificuldades serão inúmeras, em todos os vossos passos, e somente as vencereis com as armas da Fé, no arsenal de luz do coração. Deveis usar a inteligência para a paz de todas as criaturas. Todos os sofrimentos da humanidade advêm da ignorância das leis espirituais. Quando estas ficarem conhecidas por todos, todos terão a paz. Foi essa paz que Eu trouxe de meu Pai, e é ela que vos deixo. Não deveis criar problemas em família, principalmente na família dos nossos ministérios, para que os meus ensinos não se percam, por não encontrarem a vivência em quem prega a Boa Nova.

     Devo confiar em vós, e vós em Deus e em mim, para que possais ter fé em vós mesmos, ajudando na harmonia do mundo. Vejo pela frente tribulações sem conta; trago o fogo e devo acendê-lo, para queimar a cegueira dos homens; trago a espada e devo empunhá-la em lutas sem precedentes, para lutar com o mal e vencê-lo, organizando o Bem com Deus. Convido-vos novamente a essa batalha, para que não percais as vossas vidas em pelejas sem proveito. Sacrificai vossos desejos inferiores, e fortalecei a amizade sincera; sacrificai vossos instintos passageiros, e aumentai os vossos sentimentos de fraternidade; sacrificai os rancores para com vossos irmãos, e exultai no Amor, fogo sagrado de Deus no coração humano.

     Tomai a prece como selo do dever de cada dia, e nas suas asas de luz, buscai a Deus e também a mim, porque faltando esse esforço, as luzes e a paz de consciência apagar-se-ão nos vossos caminhos para a eternidade. Ajudai-nos a ajudar a todos, pela disposição que faz a alegria no trabalho sem reclamação, e a compreensão sem trocas passageiras... Se quereis confiança, confiai; se quereis paz, distribuí a paz; se quereis amor, amai, porque a vida é um eterno plantio, onde somente recebemos o que damos.

     Jesus fez uma pequena pausa, e prosseguiu com ênfase:

     - Meus filhos!... Sei que os judeus têm um respeito incomum por Moisés, que seguem os seus passos e veneram sua memória, mas, em verdade vos digo, que sou maior que Moisés! Esse legislador, fui eu quem enviou à Terra, para falar de mim e dar algumas diretrizes sobre a minha semeadura.

     A cada um dos grandes profetas foi entregue um reparte, e coube a mim dizer a essência, e viver o Amor na mais alta esperança para todos os povos. Por agora, possivelmente não serei conhecido, por faltarem condições para que a Boa Nova se alastre no mundo inteiro, mas o tempo se encarregará disso e, o próprio ar deverá ser, no futuro, o nosso mensageiro. Dias virão em que a palavra circulará a Terra, na mesma hora em que sair dos lábios dos homens, e esse dia não tardará. E por esses meios o Evangelho será conhecido por todas as nações, depois vivido por todas as criaturas. Podemos, dizer, quando chegar esse momento, que ele será o dia de luz, para clarear as consciências e dar tranquilidade aos corações.

     É da vontade de meu Pai que está nos Céus que comeceis a andar usando a palavra, como semente  de  Amor  e, quando  necessário,  que  vos refaçais com a Fé,  no clima da oração. Não percais o entusiasmo de trabalhar comigo, sob a proteção de Deus, que recebereis a recompensa no Reino da Luz.

     Porém, nunca deveis pensar em trocas, por ser este trabalho dever de cada criatura. Sereis agraciados pela presença dos anjos que, de vez em quando, aparecerão em vossos caminhos, vos dando o ânimo  correspondente às vossas necessidades. Lembrai-vos de que em muitos lugares sereis apedrejados. Se for o caso, abençoai os ofensores e trabalhai mais em favor dos que sofrem. Em variados momentos sereis encarcerados. Perdoai os inconscientes da Verdade e orai por eles, que os anjos estão encarregados de vos assistir e de vos confortar, mesmo nas prisões.

     Quando a missão vos pedir a própria vida, ganhareis outra de maior dimensão no Reino de Deus, onde eu vos espero com o júbilo de um coração de pai e mestre. Novamente vos digo que volteis para Jerusalém e lá espereis o chamado para a difusão da Boa Nova de Deus, que recebereis os poderes espirituais para o grande empreendimento, de sorte a curardes os enfermos, levantardes os caídos, fazerdes andar os paralíticos, dardes vista aos cegos e consolo aos tristes. Ajudai os velhos e as crianças por onde passardes...

     Perpassou os olhos por todos os companheiros de jornada; sentiu um Amor profundo por todos os seus discípulos e ofuscou a Sua indescritível personalidade, com luz que os homens não podem identificar de pronto. E tornou a dizer com tamanho carinho, que chegou às raias da piedade:

     - Queridos amigos! Sei das duras provas que ireis passar por causa do meu nome, mas sei da glória que recebereis com a renúncia que deve ser exercida em vossos passos. Quando chamados para levar o meu nome às criaturas distantes e a países diversos, não leveis duas túnicas; esquecei os alforjes e não pensais em provisões, como não deveis carregar ouro nas cintas. Vede os lírios e as aves quando viajam, e que nunca se apresentam em tristezas. Fazei o mesmo, que o vosso Pai que está nos Céus caberá dar condições de vida, para que pregueis a vida e a esperança a todas as criaturas. Deixo-vos a minha paz, e ela vos dou como Deus a dá. Andai, que andarei convosco, como o céu determinar!... O aroma do ambiente recendeu de perfume mais acentuado, e Jesus, sorrindo, acenou as mãos para seus discípulos, como que dizendo: até breve, companheiros.

     Todos se levantaram, imantados de alegria e contentamento, já decididos a colocar os pés a caminho de Jerusalém. (Obra "Jesus Voltando" - Espírito Shaolin - João Nunes Maia).

  www.fontviva.com.br/

  

O  TEMPO  DAS  FUTILIDADES  É  SEMPRE  LONGO;  É  INÚTIL  PARA  O  VOSSO  PROGRESSO,  O  QUAL  NEM  POR  UM  INSTANTE  DEVE  SER   PERDIDO  DE  VISTA.

 INÍCIO                                                                                                                                      PRÓXIMO