NO GOZO DA FELICIDADE NINGUÉM SE LEMBRA DE DEUS; MAS, NO AMARGURAMENTO DA DOR, NÃO HÁ ATEU QUE RESISTA À NECESSIDADE PARA SUA ALMA, DE PROCURAR N'AQUELE ENTE MISTERIOSO, E EM QUE CRÊ NÃO CRER, O ALÍVIO PARA A PENA QUE O TORTURA.

Nikolas, retratado pelo seu pai Peter Paul Rubens (pintor alemão, nascido em Siegen)                                                                       Elevação da Cruz-Quadro de Rubens

TERESA DE ÁVILA - FOTO DE QUADRO ORIGINAL DE RUBENS (Peter Paul Rubens)

 

O HOMEM

     O homem é um composto de grandeza e de miséria, de ciência e de ignorância. É, na Terra, o verdadeiro representante de Deus, porque sua vasta inteligência abarca o Universo. Soube descobrir uma parte dos segredos da Natureza; sabe servir-se dos elementos; percorre distâncias imensas por meio do vapor; pode conversar com o seu semelhante de um antípoda ao outro, pela eletricidade, que sabe dirigir; seu gênio é imenso; quando sabe depor tudo isto aos pés da Divindade e lhe render homenagem, é quase igual a Deus!

     Mas como é pequeno e miserável, quando o orgulho se apossa de seu ser! Não vê a sua miséria; não vê que sua existência, esta vida, que não pode compreender, lhe é arrebatada, às vezes instantaneamente, apenas pela vontade dessa Divindade que ele desconhece, pois não pode defender-se contra ela; é preciso se cumpra a sua sorte! Ele, que tudo estudou, tudo analisou; ele, que conhece tão bem a marcha dos astros, conhece acaso a força criadora que faz germinar o grão de trigo que lançou à terra? Pode criar uma flor, por mais simples e mais modesta? Não. Aí para o seu poder. Deveria, então reconhecer um poder muito superior ao seu. A humildade deveria apoderar-se de seu coração e, admirando as obras de Deus, praticaria então um ato de adoração. (Espírito de Santa Teresa - Revista Espírita de 1860).

                                                                                                                                            PRÓXIMO

PÁGINA INICIAL