Foto iap

 Camilo Castelo Branco em 1840 - foto www.wikipedia.org/      

 

CURSO NA ESPIRITUALIDADE

 

Nota do compilador: O Espírito Camilo Castelo Branco conta-nos sobre certa passagem sua, quando de seu aprendizado Cristão no Plano Espiritual.

     Um curso superior e atraente de Filosofia e Análise comparada foi por nós iniciado, então. E era empolgante, era belo e comovedor, com nosso emérito instrutor ressuscitarmos do silêncio dos séculos a existência das sociedades que se foram na sucessão das idades, seus costumes, suas quedas, seu heroísmo, suas vitórias!

     Em certa aula, por um dia ameno e harmonioso em que palpitavam em nosso imo anseios vagos de esperanças, como promessas benditas que entornassem aleluias pelo nosso ser, Aníbal apresentou-nos a figura inconfundível, a figura inesquecível do Meigo Rabi da Galileia, através das lembranças reproduzidas na tela magnética com o colorido vivo e sedutor da realidade! Então, a epopeia augusta do Cristianismo, desde a manjedoura humilde de Belém transformada em berço celeste, desenvolveu-se magistralmente, em estudos fecundos para o nosso entendimento, que começou a soletrar, só então, a palavra sacrossanta da redenção! As cenas descritas pelo expositor, que tão bem conhecera a época do advento da Boa-Nova do Reino de Deus, mostravam circunstanciadamente, com clareza  impressionante, as prédicas inesquecíveis do Divino Mensageiro, os discursos sugestivos, animados pelo colorido vivo dos quadros citados, as lições resplandecentes da mais elevada e pura moral, lançadas aos ares da Judéia humilde e oprimida, mas ecoadas pelos recantos mais longínquos do mundo quais convites amistosos e perenes à regeneração dos costumes para o reinado do verdadeiro Bem, apelos amorosos de confraternização pessoal e social, para a concretização de uma Pátria ideal na Terra, cujas normas de governo Ele oferecia através de Sua oratória impecável, de Sua exemplificação na vida prática sem precedentes, como nas fulgurações imperecíveis daquela áurea Doutrina cujo alvo era a educação moral do homem, cuja finalidade era sua exaltação para a glória da vida sem ocasos, da Vida Eterna na unidade com Deus! A imagem sedutora do Enviado Celeste grafou-se, por assim dizer, também em nossas mentes, em traços cativantes e indeléveis, tornando cada um de nossos corações sincero enamorado do Cristianismo, predispostos a aquisições morais sob suas benéficas inspirações, pois, enquanto Aníbal narrava os fatos, relembrando passagens enternecedoras, enquanto sua palavra vibrava em ondas sonoras de comentários férteis, extraindo essências de ensinamentos capitais para nossa iluminação, víamos os cenários que serviam à ação magnificente do Grande Mestre, ao mesmo tempo que sua figura inconfundível dominava a expressão, exercendo o apostolado sublime! Tínhamos a impressão convincente de o estarmos ouvindo proferir o Sermão da Montanha, enquanto as aragens perfumosas que ondulavam docemente no cimo da colina lhe faziam esvoaçar o manto, desalinhando-lhe os cabelos... De outra vez, era às margens do Tiberíades, era em Genesaré, pelas cidades da Judéia ou pelas aldeias pobres da Galileia, como se o seguíssemos também, fazendo parte daquela massa de povo ávido de suas palavras consolatórias, de seus favores dulcíssimos!... E por toda a parte: em conversação com partidários, amigos ou discípulos; no Templo, explicando aos exegetas da época as regras áureas da Boa-Nova que trazia; ou curando, favorecendo, protegendo, consolando, exaltando, educando, ensinando, redimindo, Aníbal nos levava a ouvi-lo e aprender, com Ele mesmo, os caminhos para nossa urgente reabilitação! Fazia-o, porém, Aníbal, pacientemente, tecendo comentários qual o professor emérito cioso da clareza das teses expostas, para a boa compreensão dos alunos...  

     Depois, ao findar o drama do Calvário, conhecemos as pelejas ardentes dos discípulos pela difusão do Testamento regenerador do Mestre, o martírio dos humildes e abnegados cristãos, inspirados sempre pela força imanente da fé... e a reforma consequente dos indivíduos que se submetiam àqueles princípios regeneradores e educativos! Estudamos, analisamos e investigamos tudo quanto fora possível à nossa mentalidade suportar em torno da Doutrina de Jesus Nazareno. Muitos tomos, complexos, delicados, precisaríamos escrever para que pudéssemos dar contas ao leitor da profundidade e extensão dessa incomparável Doutrina que tem origem no próprio pensamento divino, e que, sendo a Lei mesma estatuída pelo Criador de Todas as Coisas, um dia envolverá em suas imperecíveis fulgurações todos os setores das sociedades terrestres e espirituais!

(Espírito Camilo Castelo Branco - Médium: Y. Pereira - Obra: Memórias de um Suicida).   www.febeditora.com.br/ 

  INÍCIO                                                                                                                                                  PRÓXIMO

Não te rendas aos golpes do desencanto! Possuis em ti potencialidades imensas para alcançar vitórias sempre maiores