Foto iap

O ANJO DAS CRIANÇAS

(Espírito Micael - Revista Espírita de 1860). 

     Meu nome é Micael. Sou um dos Espíritos prepostos à guarda das crianças. Que suave missão! E que felicidade proporciona à alma! A guarda das crianças? perguntareis. Mas não têm suas mães, bons anjos prepostos a essa guarda? E por que ainda é necessário um Espírito para delas se ocupar? Mas não pensais nas que não têm mais essa boa mãe? Não as há, e muitas? E a mãe, ela mesma, por vezes não necessita de ajuda? Quem a desperta em meio ao seu primeiro sono? Quem a faz pressentir o perigo, inventar o alívio quando o mal é grave? Nós, sempre nós. Nós, que desviamos a criança do barranco, para onde corre traquinas; que dela afastamos os animais perigosos, e afastamos o fogo que poderia misturar-se aos seus cabelos. Nossa missão é suave! Somos ainda nós que lhes inspiramos a compaixão pelo pobre, a doçura, a bondade. Nenhuma, mesmo das piores, poderia perturbar-nos. Há sempre um instante, no qual seu coraçãozinho nos fica aberto. Quantos de vós admirar-se-ão desta missão. Mas não dizeis sempre: há um Deus para as crianças? sobretudo para as crianças pobres? Não, não há um Deus, mas anjos, amigos. E como poderíeis explicar de outro modo essas salvações miraculosas? Há ainda muitos outros poderes, cuja existência nem mesmo suspeitais. Há o Espírito das flores, dos perfumes; há mil e um outros, cujas missões mais ou menos elevadas vos pareceriam deliciosas e invejáveis, após vossa dura vida de provas. Eu os convidarei a virem ao vosso meio. Neste momento sou recompensada por uma vida inteiramente dedicada às crianças. Casada jovem, com um homem que possuía diversas, não tive a felicidade de as ter. Inteiramente devotada a elas, Deus, o bom e soberano Senhor, concedeu-me ser ainda guarda das crianças. Suave e santa missão! eu o repito, e cuja plena eficácia as mães aqui presentes não poderiam negar. Adeus, vou à cabeceira dos meus pequenos protegidos. A hora do sono é a minha hora, e é preciso que visite a todas essas lindas pálpebras fechadas. O bom anjo que vela por elas, sabei-o, não é uma alegoria, mas uma verdade.

PRECE!  CORDÃO  TECIDO  DE  LUZ  E  DE  AMOR,  QUE  DEUS  ESTENDE  AOS  NÁUFRAGOS  DO  MUNDO

                                                                                                                                       PRÓXIMO                                                                                                                             INÍCIO